Casa da Enceredaira

Empreender é uma necessidade
Escritor de livros infantis, Monteiro Lobato sentenciou nos primórdios do século passado que uma "nação se faz com homens e livros". Neste século, em tempo de globalização da economia, com o desmonte do estado e o fim da ilusão socialista, podemos acrescentar que o homem "lobatiano" precisa necessariamente ser adjetivado para contemplar uma desejável caracteristica empreendedora.

Nos Estados Unidos, catedral do capitalismo liberal, empreender é quase uma vocação natural do povo e a grande parte da maior economia do mundo é gerada pelo setor serviços, onde predomina a iniciativa privada de pequeno e médio porte. Já no Brasil, a herança lusitana nos faz valorizar a estabilidade do emprego público. Empreender, para nós brasileiros, é ainda, algo para os já são ricos e abastados. Um ledo engano cultural!

Precisamos de mobilizações em níveis regionais e nacional, para fundarmos uma nova cultura macro-econômica, buscando uma nova postura capaz de acelerar o nosso desenvolvimento gerando emprego e renda.

Foi exatamente o que aconteceu com o Proprietário da Empresa O Boticário, cuja a experiência no mundo dos negócios é um exemplo de empreendedorismo de sucesso no Brasil.

É certo que mudar uma cultura tão arraigada traz incompreenções, oposições e demada tempo, principalmente, por falta de mobilização empresarial para sugerir idéias e cobrar ações de Instituições como o SEBRAE e o Ministério do Trabalho e do Emprego na busca da maximização de oportunidades ao emprendedorismo no Brasil, mas novamente, podemos nos socorrer em Monteiro Lobato se quisermos promover mudanças. A proposito da defesa que fazia da exploração do Petrólio no solo brasileiro, tese brilhantemente defendida nos livros infantis e na militância no jornalismo, Lobato disse "opositores confundem evolução com corrupção; e logicamente, para eles, o homem é a corrupção do macaco; o automóvel é a corrupção do carro de boi; o telefone é a corrupção do moço de recado". Posto desta forma fica claro a necessidade de abandonarmos nosso lusitanismo, sem desprezar, é claero, o que ele tem de bom e útil.

Por fim, deixamos claro nossa concordância com aqueles que veem a necessidade de uma mobilização em prol dos Micros e Pequenos Empresários no Brasil, que são comprovadamente, a base de sustentação econômica do nosso País.

Obs.: Nós não temos o espaço que Monteiro Lobato tinha na imprensa de sua época, mas, temos a mídia mais dinâmica e democrática dos tempos modernos (a Internete)  para fazermos a nossa militância em prol dos Empreendedorismo no Brasil.

Haroldo Falcão

Manaus - AM.